Evento mostra ideias para substituir uso de petróleo no cotidiano

“IV Semana Sem Petróleo” traz programação mostra que alternativas ao petróleo abrem caminho para o autoconhecimento e retorno à natureza

Quando o assunto é “despetrolização”, a pergunta que não cala é: “é possível viver sem petróleo?” Eis aí a principal função da “Semana Sem Petróleo”, trazer alternativas para uma vida livre desse que se tornou um grande mal desta civilização. A programação deste ano está recheada de ideias que podem responder a essa pergunta com excelência, por meio de oficinas, rodas de conversa e debates.

As atividades pretendem apontar possibilidades que vão de pequenas mudanças de hábito, tais como o cuidado com o lixo, o transporte alternativo, passando por dicas de preparação caseira de produtos para o cuidado com o corpo e com a casa, até técnicas mais complexas como a compostagem, a permacultura, horta e agroecologia urbanas, entre outras. Os proponentes são coletivos e organizações de todo o Brasil e até de outros países, compostas por pessoas que trabalham, pesquisam, ensinam e buscam viver uma vida mais saudável, autônoma e livre de petróleo.

A artesã Rose Grapentim, moradora de Patrimônio da Penha, no Caparaó Capixaba, traz para a IV Semana Sem Petróleo, a oficina “Aprenda a preparar desodorante e cosméticos naturais”. Ela garante que é fácil de fazer e mais eficaz do que o produto comprado do mercado, “… porque os produtos são tão naturais quanto você, são produtos que você pode comer se quiser, o óleo de castanha é maravilhoso, dá vontade de comer de colher, é um cheiro suave, que com o tempo desaparece do seu corpo”.

Rose relembra os tempos em que seu avô e sua mãe fabricavam suas próprias coisas, móveis, roupas e alimentos e afirma que o indivíduo verdadeiramente autônomo é aquele capaz de produzir aquilo que consome, e prova que é possível viver com o mínimo de produtos industrializados.”Eu comecei minha pesquisa porque meus filhos tiveram alergia aos sabonetes comuns, e nunca mais parei. Hoje eu já consigo produzir quase tudo, compro apenas sabão em pó e creme dental”. Quanto aos custos, Rose conta que adquire alguns ingredientes em maior quantidade, fabrica os produtos para seu consumo e comercializa o excedente, dessa forma ela consegue minimizar os custos e ainda consegue atender às demandas dos amigos.

Se você também acredita que a vida natural é o melhor caminho, confira abaixo uma seleção especial de atividades que, sem dúvidas, lhe ajudarão a conquistar um novo estilo de vida. Além de você cuidar da sua saúde e de sua família, a natureza agradece. A programação completa da Semana Sem Petróleo está disponível aqui: https://areaslivresdepetroleo.org/sobre/ivsemanasempetroleo/mapa/

01/09

16 h às 16h30 

Compostagem – substrato para humanos

oficina com Juan Felipe Barrios Lopez

02/09

9 h às 10 h

Horticultura urbana – Horta Comunitária Quintal da Cidade (módulo 1)

oficina com Dauro Bricio

10 h às 11 h

Pegada da Onça – Alimentação para imunidade a base de fermentados e livre de petróleo (Kombucha e caiçuma) oficina com Maria Alejandra Munoz e Marcos Vinicius

10 h às 12 h

Como zerar o lixo da sua casa? Uma experiência prática e urbana 

roda de conversa  com João Felipe Herrero

18h30 h às 20:30h

É  possível transitar sem poluir? 

Roda de Conversa virtual com Coletivo Pedalamente:  Daniela, Hudson, Laura, Marjorie, Renan, Roberta e Yasmin

03/09

14 h às 16 h

Aprenda a preparar desodorante e cosméticos naturais 

oficina com Rose Grapentin Costa

16:30h às 18.30 h

Compostagem doméstica e perspectivas sobre a Economia Circular 

bate-papo com Oficina de Lixo (Gabriel Jardim) e Compostagem da Vila (Rian Soares)

17 h às 18:30 h

 A Permacultura como caminho para um mundo despetrolizado 

 roda de conversa com a Associação Permacultural Jacutinga do Caparaó

04/09 

9 h às 10 h

Horticultura urbana – Horta Comunitária Quintal da Cidade (módulo 2) 

oficina com Dauro Bricio

10 h às 11 h

Pegada da Onça – como preparar desinfetante de cozinha e shampoo de folhas 

oficina com Maria Alejandra Muñoz e Marcos Vinicius

14 h às 15.30 h

Matos de Comer: PANCs no cotidiano do campo e da cidade 

roda de conversa com coletivo Casa Verde e GAE Kapixawa

16 h às 17h

Brinquedos artesanais como alimento de saúde

oficina com Sandra Milena Guzmán Viracachá

18:30h às 20 h

Agroecologia urbana: sonhando caminhos para a transição pós-petroleira 

roda de conversa com Rede Urbana Capixaba de Agroecologia (RUCA). Com intervenção artística Circo da Roça na Estrada sem petróleo com Thiago Araújo

%d blogueiros gostam disto: