5a Semana Sem Petróleo

Novembro 2021

A 5ª Semana Sem Petróleo está chegando!

Neste ano, o evento ocorrerá entre os dias 4 e 25 de novembro com atividades presenciais e virtuais, em um formato híbrido. A articulação da Campanha Nem Um Poço a Mais, propõe pensar a indústria petroleira desde a produção, e passando pelo consumo e as consequências da petrodependência.

Leia maisAtividades

Esta é a página da Campanha Nem Um Poço a Mais! Sua presença é muito bem vinda!

Aqui você encontra informações, artigos, matérias e muito mais sobre a luta antipetroleira do Espírito Santo, Brasil e América Latina.

Diga Não à 17ª Rodada da ANP!

Basta de exploração! Lugar de petróleo é no subsolo!

Rede Oilwatch Latinoamérica alerta

O debate do clima não é sobre moléculas de carbono: É urgente deixar as energias fósseis enterradas para sempre!

Campanha Nem Um Poço a Mais

Boletim Novembro 2021

A História do Plástico recebeu o Emmy de Notícias e Documentários na categoria de Redação de Destaque!

O longa-metragem, A História do Plástico (The Story of Plastic), é uma exposição marcante que revela a horrível verdade por trás da poluição do plástico e da falsa solução da reciclagem do plástico. Apresenta uma linha do tempo coesa de como chegamos à nossa atual crise global de poluição por plástico e como a indústria de petróleo e gás manipulou com sucesso a narrativa em torno dela. Da extração de combustíveis fósseis e descarte de plástico à luta global contra a resistência.

AdeusPoesia

Adeus Poesia é uma performance cenopoética com Willian Rodrigues (Circo Teatro Capixaba), teatralizando poesias durante o isolamento social, alguns poemas sobre natureza, arte e saúde mental.

Circo da Roça na Estrada Sem petróleo

Assista à intervenção artística Circo da Roça na Estrada sem petróleo com Thiago Araújo. Uma ação cômica em cenas curtas mostram os descaminhos de um palhaço que decide fazer a viagem da cidade para a roça e abandonar o petróleo.

A 5ª Semana Sem Petróleo já começou!

Realizado a partir do dia 4 de novembro, o evento segue até o próximo dia 25 com atividades presenciais e virtuais, em um formato híbrido. A articulação da Campanha Nem Um Poço a Mais, propõe pensar a indústria petroleira desde a produção, e passando pelo consumo e as consequências da petrodependência.

Convidamos todos, todas e todes a se somar nesta reflexão coletiva para identificar usos abusivos e desnecessários do petróleo, construir caminhos de transição, e possibilidades de redução gradual do seu uso em nosso cotidiano

‘Compensar queima de petróleo com eucalipto é vergonhoso’

Membro da delegação quilombola na COP26, Katia Penha alerta: as negociações devem considerar as pessoas e a biodiversidade.

A análise vem diretamente de Glasgow, na Escócia, onde é realizada a 26° Conferência das Nações Unidas para a Mudança Climática (COP-26). E é enunciada por Katia Penha, liderança quilombola capixaba da comunidade de Divino Espírito Santo, localizada no Território Quilombola Tradicional do Sapê do Norte em São Mateus.

A 17ª Rodada de licitações da ANP

No dia 7 de outubro, aconteceu a 17ª Rodada de Licitações da Agência Nacional do Petróleo, com forte resistência da sociedade civil. Considerada um “sucesso” para uns e um “fracasso” para outros, esse último leilão merece algumas reflexões para além das notas técnicas.

E vale um alerta: a 17ª Rodada de licitações, e as anteriores, ainda não acabaram, seguem em oferta permanente.

IBAMA não responde AHOMAR no licenciamento da ExxonMobil

No dia 04/11/2021, a AHOMAR fez novo requerimento onde solicita a análise de seu requerimento e a manifestação da procuradoria do IBAMA.

No início de outubro, a Associação Homens do Mar da Baía da Guanabara (AHOMAR) protocolou um pedido de anulação junto ao Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama) de uma audiência pública realizada pela multinacional Exxonmobil visando a aprovação do licenciamento ambiental das atividades de perfuração marítima de poços na Bacia de Sergipe e Alagoas.

Podcast Pílula Para Transição Energética: Agroecologia como resistência no campo e na cidade

A Agroecologia como resistência no campo e na cidade é o tema do nosso quarto episódio do podcast Pílula Para Transição Energética. Nesse episódio vamos conversar com João Batista, quilombola do território do Sapê do Norte, que nos traz a abordagem da agroecologia em territórios dos povos tradicionais como ferramenta para garantir a agrobiodiversidade e permanência desses povos. Fazendo a relação campo-cidade, convidamos Lucas Sangi, polinizador da Rede Urbana Capixaba de Agroecologia, para nos contar como a agroecologia está presente nos meios urbanos, e como pensar a construção de uma cidade através dos fundamentos da agroecologia.

Depois não adianta chorar

Noêmia Magalhães, uma das atingidas pelo Porto de Açu (RJ) esteve no encontro realizado para debater a construção do Porto Central em Presidente Kennedy, no Sul do Espírito Santo, e trouxe mensagens de resistência para a população local.

Encontro Porto Central: uma tragédia interestadual

Em 25 e 26 de outubro de 2021, mais de 120 pessoas das regiões norte, metropolitana e sul do ES, com colegas do norte do RJ, estivemos reunidos em Presidente Kennedy, na Praia de Marobá, no Encontro “Porto Central: uma tragédia interestadual”.
Povos e comunidades de pesca artesanal e quilombolas, trabalhadores rurais sem terra, camponeses, artesãs, agentes de pastorais, grupo de mulheres e mulheres negras, pesquisadores, professores, artistas, defensore/as de direitos humanos, ongs, ambientalistas e habitantes da região, se perguntavam: Porto Central: para que? para quem?…

NOTA DE REPÚDIO CONTRA O PETROCITY

Em defesa da saúde, da natureza e das comunidades.

Vimos por meio desta manifestar nosso profundo repúdio ao Governo Federal e seu Ministério da Infraestrutura, que assinou no último dia 12/05/2020 os contratos que autorizam a instalação do Centro Portuário de São Mateus (CPSM) pela Petrocity Portos, no norte capixaba. LEIA

En el presente texto, con el consenso de las organizaciones participantes en el Seminario Internacional sobre Transición Energética: agua y energía para nuestra soberanía llevado a cabo en la ciudad de Bogotá durante el 26 y 27 de noviembre de 2019, se asumió el desafío de analizar algunas de las propuestas en curso para identificar los elementos comunes, los desafíos y los debates conflictos que están sobre la mesa como oportunidad para seguir tejiendo la unidad entre los procesos sociales.

La reflexión aquí contenida se produce entonces como una herramienta de trabajo para la incidencia entre organizaciones sociales, para cualificar la reflexión interna de los procesos sociales que promueven las diversas protestas de transición energética y para inspirar o recrear nuevas propuestas que a su vez posibiliten mayor interés en el intercambio de experiencias entre unas y otras.

En definitiva, solo la articulación entre todas las plataformas podrá otorgar la fuerza necesaria para avanzar con rapidez y lograr enfrentar los desafíos que tienen la humanidad en el momento actual. Las diferencias de percepción entre los sectores deberán abordarse con diálogos de saberes, donde impere el respeto, el renacimiento y el autoreconocimiento.

No se trata de convencer, cada realidad es cierta, cada propuesta es complementaria y por tanto el desafío puesto sobre la mesa, al cual se espera contribuir con la publicación de este documento, es tejer entre una y otra desde cada realidad y propuesta local.

Ao mesmo tempo, contra o vírus e contra Bolsonaro, a sociedade brasileira e capixaba vem construindo por conta própria centenas de redes de solidariedade e cuidado. Em apoio a profissionais da saúde e ao SUS, às pessoas em situação de rua, aos idosos, às famílias e comunidades mais fragilizadas e empobrecidas. Contra o ódio, sempre apostamos no amor e no respeito às diferenças.

Estamos construindo espaços de diálogo com o objetivo de tratar de temas como a saúde, segurança alimentar e sanitária nas comunidades. Os riscos de contaminação e os cuidados. As redes comunitárias e intercomunitárias de apoio e solidariedade. A situação nas escolas, postos de saúde e hospitais da região. Agentes de saúde. A situação das mulheres, dos idosos e crianças. O acesso às políticas de emergência do Estado: renda mínima, PAA, PNAE etc. E as empresas? Continuam operando nos territórios? Como estão atuando neste período? Novos impactos sobre as comunidades e a natureza? O pós Covid 19: perspectivas, certezas, incertezas, medos, sonhos. CLIQUE E ASSISTA AS RODAS VIRTUAIS AQUI.

A pandemia do Covid19 reflete o dia Terra em 2020, e grita pelo fim da civilização petroleira, socialmente injusta e genocida, ambientalmente irresponsável e economicamente inviável. O desenvolvimento capitalista, e seus modos de vida e produção petrodependentes, não garantem nenhuma proteção frente às pandemias, que serão cada vez mais frequentes, com novas viroses como o coronavírus, a gripe aviária e suína, e ainda novas bactérias e vírus que estão congeladas no subsolo da Terra há centenas de milhões de anos e que poderiam se libertar com o desgelo devido ao aquecimento global.

.  

“A publicação registra os anos de construção coletiva da campanha, traz reflexões, e ao mesmo tempo registros dos momentos de construção. É uma proposta de publicação diversa, tendo desde depoimentos de movimentos a textos críticos, relatos dos encontros, ressaltando a problematização sobre a expansão da exploração de petróleo e gás nos territórios”, explica Daniela Meirelles, da Federação de Órgãos para Assistência Social e Educacional (Fase).

O Deus desenvolvimento e a petroDependência [ARTIGO]

Marcelo Calazans, da FASE Espírito Santo e da Campanha Nem Um Poço a Mais!, faz uma análise sobre a petrodependência a partir da crise do diesel.

Campanha Nem Um Poço a Mais lança Carta do 3º. Seminário Nacional no marco do Dia Internacional dos Direitos Humanos [ENCONTRO]

Reunidos no 3º. Seminário Nacional, nós, da Campanha “Nem um poço a mais!”, convocamos você e sua família, seus grupos coletivos e comunidades; conclamamos as redes e fóruns da sociedade civil brasileira e mundial para barrarmos a expansão da indústria e da civilização petroleira no Brasil.

Campanha Nem Um Poço a Mais leva demandas para representantes no Parlamento Europeu

Buscando ampliar o diálogo e ações conjuntas, a Campanha Nem Um Poço a Mais levou suas problemáticas e propostas para a equipe do eurodeputado espanhol Xabier Benito,  membro da Comissão de Indústria, Investigação e Energia e vice-presidente da Delegação para Relações com o Mercosul.

Carnaval Tático na Campanha Nem um Poço a Mais durante a Semana sem Petróleo

Como água e óleo, agroecologia e petróleo não se misturam!” foi o tema do encontro estadual da Campanha Nem Um Poço A Mais, organizado pelo o programa da FASE no Espírito Santo

(FUNDO MAIS VIDA MENOS PETRÓLEO) Seminário de mulheres quilombolas: a história que queremos contar- territórios livres de petróleo – Carta Aberta!

Nós mulheres quilombolas do Espírito Santo reunidas nos dias 13 e 14 de outubro de 2017 em São Mateus no “Seminário de mulheres quilombolas: a história que queremos contar- territórios livres de petróleo” vimos a público nos manifestar.

(FUNDO MAIS VIDA MENOS PETRÓLEO) Oficina de Lixo promove Mostra de Curtas com o tema Direitos Humanos na Serra

(FUNDO MAIS VIDA MENOS PETRÓLEO) 3° SARAU CURSINHO POPULAR RISOFLORA “MAIS VIDA, MENOS PETRÓLEO”

O Sarau é um símbolo de resistência e reprodução cultural da períferia onde tem poesias, intervenções artistícas, exposições, etc. Agradecemos a todas e todos voluntários, educadores e amigos que somaM forças nessa caminhada e que fazem valer a pena essa nossa luta pela educação popular e pela justiça social! Que a universidade se pinte de POVO!

Os riscos da utilização Fracking para os recursos hídricos e a gestão ambiental: Vulnerabilidades do recôncavo baiano.OS 

Bianca Dieile da Silva Pesquisadora em Saúde Pública da Fundação Oswaldo Cruz trata da exploração de gás natural de folhelho por meio do faturamento hidráulico de alta pressão representa um risco para os recursos hídricos.

Fase lança segundo edital “Mais Vida Menos Petróleo”.

As propostas devem ser inscritas no eixo “O complexo petroleiro no Espírito Santo e as mulheres” e enviadas até o dia 28 de agosto

Energias Extremas : Nuevas fronteras del extractivismo energético en Latinoamérica

Impactados pelo petróleo protestam contra leilão de poços maduros

Uma caravana composta por camponeses, pescadoras, marisqueiras e outros impactados pela exploração terrestre de petróleo no Espírito Santo, reunidos na Campanha Nem Um Poço a Mais, foi ao Rio de Janeiro reivindicar o reconhecimento dos passivos socioambientais da atividade e o investimento estatal em outras fontes de energia.

11 de Maio – Ato contra o Leilão de Poços de Petróleo “Campos Marginais” no Rio de Janeiro

Cara/os amiga/os,

é esta semana que a ANP, Petrobrás e diversas petroleiras querem recuperar poços de petróleo em terra. Dia 11 de maio está marcada a 4 Rodada de Licitação de áreas em campos marginais, no Rio de Janeiro, e a Campanha Nem um Poço a Mais estará lá, em frente a ANP fazendo a crítica para deixar o petróleo no subsolo.

(FUNDO MAIS VIDA MENOS PETRÓLEO) Oficina de Lixo promove Mostra de Curtas com o tema Direitos Humanos na Serra

Ativistas da Campanha Nem um Poço a Mais se reuniram na comunidade Campo Grande, em São Mateus (ES), para falar sobre os impactos da exploração de petróleo e alertar para a realização da 4ª Rodada de Acumulações Marginais da ANP

(FUNDO MAIS VIDA MENOS PETRÓLEO) 3° SARAU CURSINHO POPULAR RISOFLORA “MAIS VIDA, MENOS PETRÓLEO”

Edital “Mais vida, menos petróleo”: Resultado

Veja os aspectos analisados e pontuados e a lista com o resultado final

APOIO
REDES NAS QUAIS ATUAMOS
ARTICULAÇÕES PARCEIRAS
%d blogueiros gostam disto: